“Conspiração e Poder” aborda erros jornalísticos e suas consequências

Notícias falsas hoje em dia são um fenômeno recorrente: quase todos os dias se escuta falar de fake news e é muito comum se deparar com uma online. Mas, e quando uma importante equipe de jornalistas acaba espalhando uma fake news sem perceber? Nossa dica cultural dessa semana, o filme “Conspiração e Poder”, trata desse assunto. A produção de 2015 conta com a direção de James Vanderbilt e, no elenco, estrela Cate Blanchett e Robert Redford, ator que também estrelou um filme recomendado pela nossa dica cultural, “Todos os homens do presidente”. O longa-metragem foi baseado no livro Truth and Duty, da jornalista Mary Mapes. A produção é também baseada em fatos reais.

A trama conta a história de Mary Mapes (Blanchett), produtora do programa jornalístico 60 Minutes, da rede de televisão americana CBS. Com a ajuda de sua equipe e do apresentador e entrevistador Dan Rather (Redford), ela conduz uma investigação sobre os anos que o candidato à reeleição George W. Bush havia passado no exército e suspeitas de que ele poderia ter recebido tratamento especial durante seu serviço militar. O resultado é um programa surpreendente, que chamou a atenção de toda a mídia e do público americano. Entretanto, um simples detalhe nos documentos da investigação acaba por colocar em xeque toda a reportagem, assim como a reputação de Mapes e da CBS.

O filme expõe a questão do cuidado e da atenção que o jornalista deve ter na hora de produzir seu trabalho, assim como trata da confiança que as pessoas têm em veículos tradicionais da mídia, que tem diminuído cada vez mais. É uma ótima opção, especialmente para quem gosta de dramas políticos.

JP Ribeiro

ACI/UNITAU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *