Eleições para a diretoria da Comunicação. Fique por dentro!

Olá Comunica!

Depois de quatro anos à frente do Departamento a professora Edilene Maia inicia o processo de eleição obrigatório (Edital PRG nº 015/2019) para diretor do Departamento de Comunicação Social da UNITAU, para os próximos dois anos, 2020-2021.

A comissão eleitoral é liderada pela professora Aline Fernanda Lima Ferreira, presidente da comissão. Os representantes dos professores, servidores e alunos são, respectivamente: professora Viviane Fushimi Velloso, secretária Eliane Hidalgo e a aluna do 8º PP Matutino Letícia Fernandes.

Os candidatos, por ordem de inscrição, são os professores:

• Doutora Monica Franchi Carniello
• Mestre Josué Marcos Brazil
• Doutor Lourival Galvão Junior

Poderão votar nesse processo, com peso relativo à representação

• Todos os professores lotados ou com aulas atribuídas no Departamento – 70%
• Todos os servidores lotados no Departamento – 20%
• Todos os alunos regularmente matriculados no Departamento – 10%

O período de eleição será de 04 a 09 de novembro, durante o período de funcionamento da secretaria (2ª a 6ª feiras das 8hàs12h e das 18h30 às 21h30). A participação de todos é muito importante, verifiquem os planos de cada candidato que estão disponíveis no site e redes sociais da Comunicação.

Planos de ação/gestão

Para conhecimento de todos publicamos na sequência os planos de ação dos três candidatos por ordem cronológica de inscrição:

Profa. Dra. Monica Franchi Carniello

1 APRESENTAÇÃO
A Educação Superior brasileira enfrenta, nos últimos anos, desafios relativos às mudanças econômicas, demográficas e culturais da sociedade brasileira. Aspectos como queda de renda da população, impactos da tecnologia sobre a produção e a vida social e mudanças recentes nas políticas públicas da educação alteram o cenário no
qual atuam as Instituições de Ensino Superior.
Neste contexto, há desafios significativos para a UNITAU realizar a sua missão, especialmente quanto a preservar a ênfase na qualidade didático-pedagógico que a torna uma referência na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, com relevância no cenário nacional. Além da maior concorrência com as instituições privadas que oferecem ensino presencial e a distância e a ampliação da oferta de cursos por parte das instituições públicas presentes na região como UNESP, UNIFESP, FATEC e ITA, tem-se a mudança do perfil do discente, resultado da presença da internet, que alterou os hábitos pertinentes ao consumo de informação, de trajetória acadêmica e de projeto de vida.
Para lidar com esta realidade, a UNITAU demanda de seus gestores, bem como de toda a comunidade acadêmica, a compreensão e o compromisso com a função social da universidade, conciliada com a busca e manutenção de diferenciais para manter a competitividade no mercado da Educação superior. A instituição encontra-se em um momento bastante oportuno no que tange à Administração Superior quanto às possibilidades de implementar as mudanças, aprimoramento dos processos, de maneira a tornar a instituição mais ágil e visível para as novas gerações de alunos potenciais, mantendo, simultaneamente, a qualidade didático-pedagógico que define a tradição da UNITAU enquanto instituição pública preparada para formar profissionais competentes em seu campo de atuação e com condições plenas ao exercício da cidadania, entendida em sua mais ampla acepção: politica, social e comunitária.
Em relação ao Departamento de Comunicação Social (DCOS), especificamente, soma-se o desafio de as profissões tradicionais da área – Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas – serem alvo de debate e questionamento da sociedade, em função de fenômenos como as fake news (notícias falsas), da reconfiguração dos modelos de negócio a partir das tecnologias de informação e comunicação, entre outros fatores. Para reagir às adversidades e às mudanças, foram propostos quatro novos cursos de tecnologia: Design Gráfico, já com a primeira turma em andamento; Marketing Digital; Comunicação Institucional; e Produção Audiovisual. Estes últimos foram ofertados no vestibular de verão 2020 e, em caso de abertura de turmas, precisarão ser implementados.
A função de Diretor do Departamento de Comunicação Social (DCOS) exige, portanto, uma visão administrativa adequada a essa realidade e momento. Deve ter um perfil que concilie uma visão de mercado, com domínio de ferramentas de gestão, com a visão pedagógica, para a condução dos cursos mantendo alto nível de qualidade tanto na oferta e concepção de novos cursos quanto na condução da rotina dos cursos, zelando para o bom andamento das aulas e demais atividades.
O fortalecimento da UNITAU enquanto universidade pública integrada à comunidade de Taubaté e região, referência de ensino, extensão e pesquisa é resultado da união de todos os membros da instituição.
O presente Plano de Gestão do DCOS pauta-se na concepção de uma gestão democrática, conciliadora e estratégica, com o objetivo de sintonizar o Departamento com a nova realidade da Educação Superior, respeitando a trajetória vivenciada até então.
O DCOS completou, em 2019, 40 anos de existência. Nessas quatro décadas, formou grande parte dos profissionais que atuam no mercado de comunicação do Vale do Paraíba. Em uma pesquisa com egressos, realizada pelo DCOS em 2018, verificou-se que mais da metade dos egressos do DCOS (67%) conseguem inserção profissional na própria região e que 12,6% dos egressos trabalham em São Paulo. Dos egressos, 58,6% afirmaram trabalhar na área de formação e 29,8% em áreas correlatas. Apenas 11,7% dos egressos não estavam trabalhando, o que corresponde ao índice médio de desemprego do país.
Entende-se que a inserção profissional dos egressos valida a qualidade didáticopedagógica da UNITAU, que a consolida como uma referência na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. A manutenção e ampliação dessa posição depende da superação dos desafios contemporâneos supramencionados e do trabalho dos
Departamentos articulado e sintonizado com alta administração da instituição.
Este Plano de Gestão do DCOS é um compromisso assumido perante toda a comunidade acadêmica e perante a sociedade em trabalhar em prol da qualidade de ensino, da formação de profissionais íntegros e aptos a atuar para o desenvolvimento da nossa região e do país.

2. ESTRATÉGIA
Nesta seção são apresentadas as diretrizes estratégicas para as dimensões mercadológica, pedagógica e administrativa do Departamento de Comunicação Social.
2.1 Estratégia mercadológica
A estratégia mercadológica proposta para a gestão do DCOS é a diversificação de cursos. Por meio da oferta de cursos de tecnologia, que são mais focados e ágeis, o DCOS suprirá uma demanda mais imediata e atrairá um público distinto do atendido pelos cursos de bacharelado, ampliando assim o público potencial a ser atendido. Os cursos de bacharelado serão fortalecidos, por atenderem a um público específico e pela tradição que os cursos carregam.
Também faz parte da estratégia a ampliação do escopo de cursos e públicos a serem atendidos pelo DCOS. Pretende-se propor cursos de extensão e de pósgraduação lato sensu, de forma articulada com as Pró-reitorias de Extensão e de Pesquisa e Pós-graduação, respectivamente, para profissionais da área de também de outras áreas. Uma das propostas de curso é ofertar capacitações de comunicação para microempreendedores, profissionais da saúde, gestores, entre outros.
Para monitorar o mercado, o DCOS manterá proximidade com o setor de Marketing da Universidade, incluindo a solicitação de um estudo de mercado para o DCOS.
O DCOS participará ativamente das ações de captação de novos alunos, em consonância com as estratégias definidas pelo Marketing e pela Administração Superior.
A realização de eventos abertos para a comunidade é uma estratégia a ser implementada para aproximar o DCOS da sociedade, bem como de potenciais alunos, para fortalecimento da imagem da instituição.
2.2 Estratégia pedagógica
Como estratégia pedagógica, busca-se melhorar o desempenho dos cursos no ENADE por meio da implantação de ações contínuas que impliquem de fato em melhorias reais para o Departamento. Uma das ações seria estruturar os métodos de ensino-aprendizagem por projetos e por resolução de problemas (metodologias ativas). Estes já são amplamente utilizados pelos docentes do Departamento, porém nem sempre de forma sincronizada e com os processos devidamente estruturados. Os resultados dos projetos também podem ser mais divulgados e gerar mais visibilidade para os cursos.
Os projetos pedagógicos dos cursos de bacharelado serão revistos e atualizados, de forma a formalizar e dar suporte aos métodos de ensino aplicados.
Pretende-se, também, adotar a plataforma EVA como apoio às disciplinas presenciais nos cursos de bacharelado, de forma a convergir os materiais didáticos e entrega de trabalhos para um mesmo ambiente virtual de aprendizagem.
Outro aspecto diz respeito a incentivar os alunos a participar de atividades acadêmicas e científicas, com apoio e supervisão dos docentes, para desenvolver as habilidades de pesquisa e apresentar as possibilidades de carreira acadêmica.
Por fim, o acompanhamento constante do desempenho dos docentes por meio dos resultados das pesquisas conduzidas pela Comissão Própria de Avaliação da Universidade será um ponto de atenção durante o mandato, para que os resultados sejam norteadores de ações para melhorias contínuas dos processos pedagógicos do DCOS.
2.3 Estratégia administrativa
Exercer a gestão democrática por meio do fortalecimento dos órgãos colegiados e Núcleo Docente Estruturante será a premissa durante o mandato. Sob o prisma administrativo se buscará atuar em parceria com a Reitoria e Pró-reitorias com uma interlocução que fortaleça a instituição e o próprio DCOS a partir das possibilidades de administração participativa, transparente e voltada ao alinhamento pedagógico e institucional.
A estratégia administrativa inclui uma reorganização do uso do espaço físico do Departamento, que pode ser otimizado e melhor aproveitado. A criação de mais salas maker é um dos objetivos, para tornar o ambiente ainda mais dinâmico e estimular a utilização de metodologias de ensino diversificadas. Quanto à rotina administrativa, pretende-se otimizar os processos, definir tempos fixos para atendimento aos alunos, manter a rotina do departamento de maneira organizada e eficaz.
O foco no relacionamento com o aluno será prioridade, como forma de combate à evasão, visto que o atendimento individualizado é fundamental para o aluno sentir-se acolhido pela universidade.
Como forma de acompanhamento contínuo, pretende-se realizar reuniões bimestrais com os representantes das salas dos cursos, para que problemas e oportunidades sejam identificados em curso, de maneira que haja tempo para
resolução dos mesmos.
Referente a infraestrutura do departamento, pretende-se estudar formas de realizar projetos via fundações para gerar recursos para equipar e atualizar os laboratórios do Departamento, envolvendo os alunos de maneira a proporcionar vivências pedagógicas no processo de execução dos projetos.
Sob o prisma institucional, neste plano concebe-se a função de Diretor do DCOS para o próximo mandato como interlocutor entre Reitoria, Pró-reitorias e demais instâncias da universidade, de maneira a representar os interesses do Departamento em consonância com o plano de desenvolvimento institucional da Universidade.
Quanto a gestão de equipes, o Diretor do DCOS deve ter a máxima atenção e sensibilidade no trato com docentes e funcionários, imprescindíveis e a realização da missão e visão da UNITAU, especialmente quanto ao ensino de qualidade.
A integração entre os professores deve ser estimulada com reuniões e aproximação pedagógica, com a valorização da contribuição individual para a elaboração do conteúdo programático das disciplinas.
O DCOS conta o trabalho decisivo de sua secretaria e equipe técnica para o bom funcionamento do prédio e laboratórios. A valorização dos funcionários é uma premissa deste Plano de Gestão, pautado nos preceitos e regramentos legais para transmitir aos servidores a segurança necessária no desempenho de suas atribuições.
O diálogo aberto, a presença contínua no DCOS e na UNITAU, a realização de encontros periódicos e a ponderação na tomada de decisões serão observados para alicerçar uma boa gestão administrativa.
Entende-se que a atuação do Diretor do DCOS é estratégica para promover uma gestão eficaz em consonância com os objetivos institucionais da UNITAU.

Prof. Ms. Josué Brazil

Coloco a seguir minha proposta de ação para o Departamento de Comunicação Social
1 – Dar sequência ao excelente trabalho realizado nas duas últimas gestões do DCOS, capitaneadas pelos professores Maurilio Laua e Edilene Maia. Foram muitos avanços em todas as áreas, principalmente a pedagógica.
2 – Gosto de entender gestão baseando meu pensamento-ação no tripé PESSOAS – PRODUTOS – PROCESSOS.
2.1 – Pessoas
2.1.1 – O maior capital do DCOS é o capital humano. E organização ou instituição alguma triunfa sem as pessoas certas. A ideia é continuar valorizando nosso capital humano, professores e funcionários. Trabalhar junto à administração superior da Universidade para promover o constante aperfeiçoamento e crescimento das capacidades das pessoas que fazem o DCOS.
2.1.2 – Dialogar é o melhor caminho para ter pessoas motivadas. Daremos sequência à política de sempre estar acessível a todos. Ouvir todos. E colaborar.
2.1.3 – Tenho a ideia de trazer atividades de atualização e capacitação para o corpo docente do DCOS contando com outros departamentos de nossa universidade em parcerias de troca de conhecimento.
2.1.4 – Propor constantes desafios para obter inovação. Incentivar os professores e funcionários a contribuírem de forma incisiva para que possamos oferecer uma educação superior de nível ainda mais alto no DCOS. A ideia é que professores e funcionários tenham um canal aberto para sugerir mudanças e novos projetos.
2.1.5 – Proponho a criação de um conselho, formado por representantes de sala, coordenadores de curso e diretoria. Esse conselho teria reuniões periódicas para troca de ideias, sugestões e demandas. Esse conselho se somaria ao CONDEP (Conselho Departamental) e ao NDE (Núcleo Docente Estruturante) como estrutura fomentadora da melhoria constante do DCOS.
2.1.6 – Trabalhar para construir um ambiente de leveza, frescor, diversidade, inclusão e inovação, sem perder a seriedade e o compromisso com a educação superior de comunicação social.
2.2 – Produtos
2.2.1 – Trabalhar para consolidar os novos cursos do DCOS. Design Gráfico, Marketing Digital, Comunicação Institucional e Produção Audiovisual deverão ser acompanhados muito proximamente. A implementação e consolidação destes cursos superiores de tecnologia são essenciais para o futuro do DCOS.
2.2.2 – Devemos ao mesmo tempo trabalhar incansavelmente para a manutenção e crescimento das graduações. Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda além de cursos fundadores da DCOS são também nosso esteio. Aqui a busca deve repousar sobre a constante atualização de conteúdos programáticos e revisão de grades curriculares se necessário for. Os cursos devem ser tradicionais mas não estáticos.
2.2.3 – Continuar o trabalho de parceria entre administração superior e DCOS para melhoria de infraestrutura, equipamentos e renovação dos espaços físicos de ensino/aprendizagem.
2.2.4 – Ter espaços diferenciados de ensino/aprendizagem, salas de aula com nova configuração (mobiliário, equipamentos didáticos e outros) serve de motivação tanto para professores como para alunos. Já avançamos nesse sentido no DCOS, mas há muito espaço para avanço nesse aspecto.
2.2.5 – Nossos produtos (todos os cursos) devem ser trabalhados para serem percebidos como referência. O DCOS deve ser percebido como o órgão referência de nossa região quando o assunto for comunicação social. Para tanto:
– buscar transformar as empresas de Comunicação do Vale em parceiras do Departamento até mesmo na definição de perfil profissional e na indicação de disciplinas da grade. Essas mesmas empresas devem abrir as portas para que nossos alunos possam vivenciar experiências profissionais enriquecedoras e complementares ao que vivenciam em sala de aula;
– incentivar, de forma diferenciada, a criação de grupos de Pesquisa que possam ser atraentes aos olhos da comunidade. A Pesquisa deve ter uma maior atenção, em algum momento do curso, de forma que esses resultados possam servir de referência pra toda a região. Comportamentos, tendências, questões econômicas e políticas devem ser colocados de forma séria e responsável, para que se tornem fontes de informação para a mídia do Vale.
2.2.6 – Incentivar os professores a praticar novas formas de trabalhar o ensino dos conteúdos das disciplinas que formam as grades curriculares de nossos cursos. EAD, sala invertida, ensino híbrido e trabalhos interdisciplinares baseados em projetos que podem atravessar semestres são possibilidades que podem afetar positivamente nossos produtos.
2.3 – Processos
2.3.1 – Aqui a preocupação repousa na busca constante pelo aprimoramento dos processos internos. Como obter melhorias internas que se reflitam na melhoria geral. DCOS forte significa uma Unitau ainda mais forte. Unitau forte é igual a DCOS ainda mais forte.
2.3.2 – Buscar estreitar ainda mais as já ótimas relações do DCOS com a administração superior da Unitau. Entender processos das diferentes áreas e pró-reitorias para identificar pontos de sinergia.
2.3.3 – Colaboração é a palavra chave para a melhoria de nossos processos, de nossas formas de fazer.
2.3.4 – Buscar parcerias e aproximações com diversos agentes do mercado de comunicação social de nossa região, de nosso estado e de nosso país. Aumentar a aproximação entre mercado e academia, rompendo com possíveis estranhamentos e atritos de ambos os lados. Para tanto:
– retomo aqui a ideia apresentada em tópico anterior, a de entender que as empresas de Comunicação do Vale devem ser parceiras do Departamento até mesmo na definição de perfil profissional e na indicação de disciplinas da grade. Essas mesmas empresas devem abrir as portas para que nossos alunos possam vivenciar experiências profissionais enriquecedoras e complementares ao que vivenciam em sala de aula;
2.3.5 – Melhorar a atuação do DCOS em relação a projetos extensionistas, cursos livres e de curta duração e pós-graduação, através de diálogo constante com os setores responsáveis por tais atividades na administração superior e o incentivo aos professores para que apresentem projetos que contemplem essas demandas.
2.3.6 – Reforçar o perfil empreendedor dos alunos. Já não basta apenas focar em colocação profissional dos nossos alunos em empresas como única alternativa para o trabalho. Buscar uma aproximação do DCOS com entidades como Sebrae e outras que incentivam o caráter empreendedor pode conferir aos egressos uma formação diferenciada e com grandes chances de crescimento financeiro e profissional.
2.3.7 – Dentro ainda do aspecto abordado no tópico anterior, devemos incentivar cada aluno a desenvolver um Plano de Carreira, desde o início do curso. Algo que já vem sendo feito por algumas IES com resultados surpreendentes. Ou ainda podemos propor que:
– O aluno ao entrar na instituição é orientado a estabelecer um “propósito de vida” – não é um objetivo profissional – mas algo que dê uma motivação diferenciada ao aluno. Ele passa a buscar esse propósito de forma individualizada e colaborativa com os demais colegas de turma, professores e funcionários e ao longo dos conteúdos de cada disciplina. A sua atuação como cidadão é colocada à prova e ele vai recebendo toda a orientação até o final do curso quando ele deve ter alcançado esse propósito.
2.3.8 – Melhorar a estrutura e atuação de nossa Agência de Comunicação Integrada (agência experimenta), tornando-a mais atraente para nossos alunos e capacitando-a a atender clientes externos.
2.3.9 – Promover esforços para a criação de uma Agência Junior de Comunicação.
2.3.10 – Fortalecer ainda mais a atuação do NDE e do CONDEP com vista a uma atuação sempre estratégica e planejada das ações do DCOS.

Prof. Dr. Lourival da Cruz Galvão Júnior 

APRESENTAÇÃO
Ao completar 40 anos de existência, o Departamento de Comunicação Social da Universidade de Taubaté consolida-se como um dos principais fomentadores de massa crítica para os segmentos aos quais está vinculado. É inegável a presença, nos mais distintos setores públicos e privados, de profissionais formados por aquela casa, que desponta no âmbito do Ensino Superior Brasileiro como uma das principais no tocante à Comunicação Social.
Ao apresentar candidatura à diretoria do Departamento entendo que tal perfil consagrado indica a necessidade não somente da ampliação da citada potencialidade, mas também de sua precisa preservação no que se refere à Universidade de Taubaté, berço no qual se originou o referido setor e do qual ele faz parte de forma vencedora, contribuindo de forma clara à projeção desta Instituição Universitária no cenário regional e nacional.
Assim sendo, apresento de forma resumida breve proposta de plano de ação para a direção deste relevante departamento.

ESTRATÉGIA DE AÇÃO
Dentre as possíveis estratégias a serem desenvolvidas durante a gestão busca-se destacar, aqui, a necessidade de ampliação do departamento com o mercado, fato que se desponta por ser relacionado à absorção da massa crítica formada pelo departamento. Das estratégias vinculadas à questão do mercado sugere-se a busca por maior aproximação com os pares mercadológicos que atuam neste espaço, proporcionando o continuo fomento e desenvolvimento de ações que visem o ingresso dos estudantes no universo do trabalho. O mesmo deve caber ao estímulo de atividades que promovam o empreendedorismo.
Importante salientar que nenhuma atitude neste ou noutro sentido será válida se não houver reavaliação das ações pedagógicas já empreendidas, que precisam de aderência à realidade do mercado e do contexto econômico e social. Todavia não se trata de descartar ou menosprezar o que foi ou tem sido feito, mas instigar em grupo a promoção de iniciativas ativas e vinculadas a um status que atenda o contexto atual, marcado pela proeminência do universo digital e das tecnologias digitais.
A administração precisa estar ciente dessas premissas e a gestão deve considerar esse escopo. Assim sendo, idealizar, debater e promover projetos que promovam o corpo técnico, integrando-o às ações de mercado e de formação pedagógica anteriormente mencionadas se caracteriza como passo primordial à construção de um departamento coeso e coerente com o cenário no qual a Educação Superior se integra.
PROPOSTA PRINCIPAL
Promover ações de mercado de âmbito pedagógico e administrativo a fim de situar o departamento de Comunicação Social em um patamar ainda mais elevado e amplo do que aquele em que está inserido, valorizando docentes, discentes, profissionais e outros agentes que participam dos rumos deste setor.
CONSIDERAÇÃO FINAL
Entende-se que qualquer Plano de Gestão será apenas factível de aplicação se houver, independentemente de quem venha a ser nomeado como diretor, promoção à integração entre todos aqueles indivíduos que, nestas quatro décadas, contribuem ou contribuíram para que o departamento de Comunicação Social se tornasse a realidade patente que muitos admiram. Para isso é fundamental garantir direitos e promover deveres compatíveis a esses personagens que são, acima de tudo, os responsáveis por consolidar a Comunicação Social e seus cursos não apenas como parte valiosa da Universidade de Taubaté, mas também como inestimável espaço de ensino e de aprendizagem que carece ter, por diferencial, a valorização das pessoas de maneira indistinta.
Assim sendo, agradeço a oportunidade e coloco-me à disposição para qualquer outro esclarecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *