“Todos os homens do presidente” retrata a responsabilidade do jornalismo

Jornalismo investigativo: uma das correntes mais intrigantes dessa área da comunicação tão fascinante para alguns e tão assustadora para outros. Na nossa dica cultural dessa semana, vamos recomendar o filme “Todos os homens do presidente”, de 1976, do diretor Alan Pakula, vencedor do Oscar em quatro categorias: melhor ator coadjuvante, melhor direção de arte, melhor som e melhor roteiro adaptado. A produção é baseada em fatos reais.

A trama conta a história dos jornalistas Bob Woodward, interpretado por Robert Redford, e Carl Bernstein, interpretado por Dustin Hoffman. Bob era recém contratado pelo jornal The Washington Post e foi enviado para cobrir uma notícia sobre a invasão de quatro homens ao prédio do Comitê Nacional do Partido Democrata dos EUA, mais conhecido como edifício Watergate. O que era uma simples história que merecia uma coluna na página policial tornou-se um quebra-cabeça de informações confusas e misteriosas que levaram Bob e Dustin a uma investigação incessante. O resultado de tudo isso foi um choque para o país norte-americano e para o mundo.

O longa-metragem retrata o drama do jornalismo bem-feito e da responsabilidade da imprensa. Apesar de muitas chamadas não atendidas, portas fechadas e da dificuldade em lidar com a própria chefia, os dois jornalistas não desistiam e se comprometiam com a verdade e com tudo o que tinha que ser revelado. É uma verdadeira aula de jornalismo.

JP Ribeiro

ACI/UNITAU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *